As Cartas do Gervásio e a autorregulação da aprendizagem como potencializadoras do estudo na Percepção Musical

Cristiane Hatsue Vital Otutumi

Resumo


Este artigo tem o objetivo de apresentar a utilização de recursos didáticos, em especial as Cartas do Gervásio e a opção pela teoria da autorregulação da aprendizagem na perspectiva sociocognitiva, para as aulas de Percepção Musical da graduação. Trata-se de um recorte de pesquisa de doutorado que compreendeu atividades pedagógicas realizadas nos anos de 2011 e 2012 em duas IES públicas brasileiras. O intuito principal foi aprofundar discussões sobre o ensino na disciplina e trazer propostas visando melhoria no contexto universitário. Nesse caso, a autorregulação da aprendizagem foi proposta em caráter de infusão curricular, ou seja, contida e estruturando uma disciplina obrigatória. Metodologicamente, seguiu-se as diretrizes da pesquisa-ação, sendo que a análise de conteúdo orientou o tratamento dos dados. Foram oferecidos aos alunos um plano de estudo semanal, monitoria, avaliações com diferentes perfis, além de leituras de três capítulos-carta do livro Comprometer-se com o estudar na universidade: cartas do Gervásio ao seu umbigo, de Pedro Rosário, José Núñez e Julio González-Pienda. Os resultados mostram uma relação positiva dos alunos com as práticas e podem estimular professores a buscar maior integração de conteúdos nas instituições de ensino.


Palavras-chave


Autorregulação da aprendizagem; percepção musical; Cartas do Gervásio; ensino superior; recursos didáticos para turmas.

Texto completo:

PDF

Referências


ALCANTARA NETO, Darcy. Aprendizagens em percepção musical: um estudo de caso com alunos de um curso superior de música popular. Dissertação (Mestrado em Música). Escola de Música, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2010.

ANJOS, João Johnson dos. A disciplina percepção musical no contexto do bacharelado de Música da UFPB uma investigação à luz de perspectivas e tendências pedagógicas atuais. Dissertação (Mestrado em Música). Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2011.

ARAÚJO, Rosane Cardoso de; CAVALCANTI, Célia Regina Pires; FIGUEIREDO, Edson. Motivação para prática musical no ensino superior: três possibilidades de abordagens discursivas. Revista da ABEM, Porto Alegre, v. 18, n. 24, p. 34-44, set. 2010.

AZZI, Roberta Gurgel; BASQUEIRA, Ana Paula; TOURINHO, Ana Cristina Gama dos Santos. Ensino na perspectiva da Teoria Social Cognitiva: discussões iniciais a partir do ensino de música. Revista da ABEM, Londrina, v. 24, n. 36, p.105-115, jan.-jun, 2016.

AZZI, Roberta; POLYDORO, Soely. Apontamentos preliminares: a autorregulação na Teoria Social Cognitiva. In: POLYDORO, Soely (Org). Promoção da autorregulação da aprendizagem: contribuições da teoria social cognitiva. Porto Alegre: Letra1, 2017. p.11-17.

______. Contribuições da Teoria Social Cognitiva de Albert Bandura ao contexto educativo. In: AZZI, Roberta Gurgel; GIANFALDONI, Mônica Helena Tieppo Alves (Orgs.). Psicologia e Educação. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2011, p. 177-198.

BANDURA, Albert. Social Foundations of Thoughts and Action: A Social Cognitive Theory. Englewood Cliffs: Prentice-Hall, 1986.

BARBOSA, Maria Flávia. Percepção musical como compreensão da obra musical: contribuições a partir da perspectiva histórico-cultural. Tese (Doutorado em Educação). Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Trad. Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. Lisboa: edições 70, 2010.

BOK, Kleinny Kacilah. Percepção Musical no curso de extensão em música da UFMG: uma abordagem qualitativa. Dissertação (Mestrado em Música). Escola de Música, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2010.

BORUCHOVITCH, Evely. A autorregulação da aprendizagem e a escolarização inicial. In: BORUCHOVITCH, Evely; BZUNECK, José Aloyseo. (Orgs). Aprendizagem – processos psicológicos e o contexto social na escola. Petrópolis/RJ: Vozes, 2010. 2a ed. p. 55-88.

BUZAN, Tony. Mapas mentais e sua elaboração: um sistema definitivo de pensamento que transformará a sua vida. Trad. Euclides Luiz Caloni e Cleusa Margô Wosgrau. São Paulo: Cultrix, 2005.

CAVALCANTI, Célia Regina Pires. Crenças de autoeficácia: uma perspectiva sociocognitiva no ensino do instrumento musical. Revista da ABEM, Porto Alegre, v. 17, n. 21, p. 93-102, mar. 2009.

CAREGNATO, Caroline. O desenvolvimento da competência de notar músicas ouvidas: um estudo fundamentado na teoria de Piaget visando à construção de contribuições à atividade docente. 2016. Tese (Doutorado em Música). Instituto de Artes, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP.

FALCÓN, Jorge Alberto. Quatro critérios para análise musical baseada na percepção auditiva. Dissertação (Mestrado em música). Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Paraná, 2011.

GONÇALVES, Lilian Sobreira. Um estudo sobre crenças de autoeficácia de alunos de percepção musical. Dissertação (Mestrado em Música). Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Paraná, 2013.

GONÇALVES, Lílian S.; ARAÚJO, Rosane Cardoso de. Um estudo sobre percepção musical e crenças de autoeficácia no contexto de uma instituição de ensino superior paranaense. Revista da ABEM, Londrina, v. 22, n. 33, p. 137-153, jul.-dez. 2014.

GUSMÃO, Pablo da Silva. A aprendizagem autorregulada da percepção musical no ensino superior: uma pesquisa exploratória. OPUS, Porto Alegre, v. 17, n. 2, p. 121-140, dez. 2011.

HORN, Suelena de Araújo Borges. Ensinando percepção musical: um estudo de caso na disciplina do curso técnico de um Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia. Dissertação (Mestrado em Música). Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2016.

LIMA, Larissa Martins de. Bases filosóficas e metodológicas para o ensino de percepção musical. Tese (Doutorado em Música). Universidade Federal da Bahia, 2012.

MACEDO, Lino de. Ensaios pedagógicos: como construir uma escola para todos? Porto Alegre: Artmed, 2005.

MACHADO, Renata Beck. Narrativas de professores de Teoria e Percepção Musical: caminhos de formação professional. Dissertação (Mestrado em Educação). Centro de Educação, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2012.

MUNHOZ, Izildinha Maria Silva; MELO-SILVA, Lucy Leal. Educação para a Carreira: concepções, desenvolvimento e possibilidades no contexto brasileiro. Revista brasileira de orientação profissional v. 12, n. 1, p. 37-48, 2011.

OTUTUMI, Cristiane H. V. Percepção Musical: situação atual da disciplina nos cursos superiores de música. Dissertação (Mestrado em Música). Instituto de Artes, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2008.

________. Percepção Musical e a escola tradicional no Brasil: reflexões sobre o ensino e propostas para melhoria no contexto universitário. Tese (Doutorado em Música). Instituto de Artes, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2013.

PAJARES, Frank; OLAZ, Fabián. Teoria social cognitiva e auto-eficácia: uma visão geral. In: BANDURA, A; AZZI, R.; POLYDORO, S.A.J. (Orgs). Teoria social cognitiva: conceitos básicos. Porto Alegre: Artmed, 2008. p. 97-114.

PANARO, Pablo. O processo de percepção musical como processo de representação social. Dissertação (Mestrado em Música). Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2011.

PIMENTA, Selma G.; ANASTASIOU, Léa das Graças C.; CAVALLET, Valdo J. Docência no ensino superior: construindo caminhos. In: PIMENTA, Selma G. (Org). De professores, pesquisa e didática. Campinas: Papirus, 2002. p.129-144.

PINA, Fuensanta H.; ROSÁRIO, Pedro; TEJADA, José D. C. S. de. Impacto de un programa de autorregulación del aprendizaje en estudiantes de Grado. Revista de Educación, n. 353, p. 571-588, sept.-dic. 2010,

POLYDORO, Soely Aparecida Jorge; AZZI, Roberta Gugel. Auto-regulação: aspectos introdutórios. In: BANDURA, A.; AZZI, R. G.; POLYDORO, S. Teoria Social Cognitiva: conceitos básicos. Porto Alegre: Artmed, 2008. p.149-164.

ROSÁRIO, Pedro Sales Luís; ALMEIDA, Leandro S.; GUIMARÃES, Carina; PACHECO, Mônica. Como estudam os alunos de elevado rendimento académico? Uma análise centrada nas estratégias de auto-regulação. Sobredotação, v. 2, n. 1, p. 103-116, 2001.

ROSÁRIO, Pedro Sales Luís; NÚÑEZ, José Carlos; PIENDA; Júlio González. Comprometer-se com o estudar na universidade: cartas do Gervásio ao seu umbigo. Portugal: Almedina, 2006.

______. Auto-regulação em crianças sub 10 – Projecto Sarrilhos do amarelo. Porto: Porto editora, 2007.

ROSÁRIO, Pedro Sales Luís et al. Nas encruzilhadas do aprender, auto-regular para crescer. Revista Educação em Debate, Fortaleza, ano 26, v. 1, n. 47, p. 74-82, 2004.

SANTOS JUNIOR, Paulo Jeovani dos. Percepção musical: análise das atividades desenvolvidas em uma turma do 4º ano do ensino fundamental. Dissertação (Mestrado em Música). Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, 2017.

SILVA, Ronaldo da. Leitura cantada: um caminho para a construção da audiação no músico profissional. Dissertação (Mestrado em Música). Instituto de Artes, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2010.

________. A audiação notacional em músicos profissionais: um estudo sobre a construção imagética da partitura musical diante das limitações da memória. Tese (Doutorado em Música). Instituto de Artes, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2015.

SOUSA, Jairo Aurélio de Deus. O ensino da percepção musical para iniciantes, com ênfase na utilização de timbres alternativos e no uso da palavra para uma turma de graduação em pedagogia - Goiânia – Go. Dissertação (Mestrado em Música). Escola de Música e Artes Cênicas, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2015.

TAVEIRA, Maria do Céu; SILVA, José Tomas da. (Coords.) Psicologia vocacional: perspectivas para a intervenção. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2008.

TEIXEIRA, Jaderson Aguiar. Pensando o ensino de teoria musical e solfejo: a percepção sonora e suas implicações políticas e pedagógicas. Dissertação (Mestrado em Educação). Programa de Pós-Graduação em Educação Brasileira, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2011.

______. O ensino musical interdisciplinar de harmonia, contraponto, solfejo e arranjo como estratégia de produção de conhecimento. 2015. Tese (Doutorado em Educação). Programa de Pós-Graduação em Educação Brasileira, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2015.

THIOLLENT, Michel. Metodologia da Pesquisa-ação. São Paulo: Cortez, 1994. 6a ed.

TRIPP, David. Pesquisa-ação: uma introdução metodológica. Trad. Lólio Lourenço de Oliveira. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 3, p. 443-466, set.-dez. 2005.

TOURINHO, Cristina; OLIVEIRA, Alda. Avaliação da performance musical. In: HENTSCHKE, Liane; SOUZA, Jusamara. (Orgs). Avaliação em música: reflexões e práticas. São Paulo: Moderna, 2003. p. 13-27.

ZIMMERMAN, Barry J. Developing Self-Fulfilling Cycles of Academic Regulation: An Analysis of Exemplary Instructional Models. In: SCHUNK, D.; ZIMMERMAN, B.J. (Eds.) Self-Regulated Learning: from Teaching to Self -Reflective Pratice. New York: Guilford, 1998. p. 1-19.

______. Attaining Self-Regulation: A Social Cognite Perspective. In: BOEKAERTS, M.; PINTRICH, P.; ZEIDNER, M. (Eds). Handbook of self-regulation. Mahwah, NJ: Lawrence Erlbaum Associates, 2000. p. 13-39.

______. Theories of Self-Regulated Learning and Academic Achievement: An Overview and Analysis. In: ZIMMERMAN, B.; SCHUNK, D. (Eds). Self-Regulated Learning and Academic Achievement. New Jersey: Lawrence Erlbaum Associates, 2001. p.1-37.

______. Becoming a Self-Regulated Learner: An Overview. Theory into practice, v. 41, n . 2, p. 64-70, 2002.




DOI: http://dx.doi.org/10.20504/opus2017c2308

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 OPUS

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 
OPUS - Revista Eletrônica da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-graduação em Música (ANPPOM)
ISSN 0103-7412 (versão impressa, 1989-2008), ISSN 1517-7017 (versão online, 2009- )