COESÃO DISCURSIVA NOS ESTUDOS OP. 25 DE CHOPIN: ASPECTOS DE TONALIDADE E SUBTEMATISMO

Daniel Bento

Resumo


Este trabalho aborda conexões entre os doze Estudos op. 25 (1837) de Fryderyk Franciszek Chopin (1810-1849). A possibilidade de unificação envolvendo essas peças já fora levantada por Charles Rosen; no entanto, para justificá-la, aqui são desenvolvidos e associados dois específicos parâmetros de abordagem. O primeiro refere-se aos relacionamentos tonais seqüencialmente estabelecidos nessas composições. O segundo adapta o conceito de subtematismo de Carl Dahlhaus, que trata de aproximações que não cheguem a consolidar temas ou outras estruturas mais cristalizadas da composição. Por meio desses parâmetros, confirma-se coesão em pares de peças vizinhas e em grupos maiores delas, processo aqui intitulado de união múltipla.

Palavras-chave


: Tonalidade. Subtematismo. Chopin.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2015 OPUS

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 
OPUS - Revista Eletrônica da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-graduação em Música (ANPPOM)
ISSN 0103-7412 (versão impressa, 1989-2008), ISSN 1517-7017 (versão online, 2009- )