O ensino de música nas primeiras décadas do Brasil oitocentista (1808-1822)

Humberto Amorim

Resumo


O artigo pauta o ensino de música ocorrido no Brasil nas primeiras décadas do século XIX, mais especificamente no ínterim compreendido entre 1808, ano da chegada da família real portuguesa, e 1822, ano da Proclamação da Independência. O objetivo é compreender quais os fatores que, a partir dos processos que ocorreram entre estes dois momentos pontuais de nossa historiografia, permitiram uma reorganização das possibilidades de educação musical no período, até então restrita quase exclusivamente aos espaços da Igreja e do Estado. Para tanto, o texto apresenta mais de 30 anúncios inéditos recolhidos em quatro dos periódicos inaugurais de nossa imprensa (Gazeta do Rio de Janeiro, Idade d’Ouro, Jornal do Commercio e Diário do Rio de Janeiro), articulando seus conteúdos com a bibliografia disponível sobre o tema e sobre a literatura brasileira oitocentista. As conclusões apontam para uma dupla perspectiva: a proliferação do ensino particular de música, com ênfase na ação de professores estrangeiros; e a inserção da música no programa de formação de mestres(as) de formação geral, bem como na grade curricular de escolas, academias e colégios privados.


Palavras-chave


Música no Brasil do século XIX. Ensino musical na corte de d. João VI. Professores particulares de música. Inclusão da música nos programas escolares. Anúncios musicais na imprensa brasileira.

Texto completo:

PDF

Referências


Almanach do Rio de Janeiro para o ano de 1825. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1824.

ALMEIDA, Manuel António de. Memória de um Sargento de Milícias. São Paulo: Editora Ática, 1996.

AMORIM, Humberto. Três modalidades de comércio musical nas primeiras décadas do Brasil Oitocentista: (1808-1821): anúncios particulares, leilões e rifas. Revista Vórtex, Curitiba, v.5, n.1, 2017a, p.1-22.

_____. O comércio musical em livrarias, armazéns de variedades e lojas especializadas no Brasil Oitocentista (1808-1822). Revista Vórtex, Curitiba, v.5, n.2, 2017b, p.1-26.

AZEVEDO, Aluísio. O Cortiço. Rio de Janeiro: B. L. Garnier, 1890.

BINDER, Fernando; CASTAGNA, Paulo. Teoria musical no Brasil: 1734-1854. In: I SIMPÓSIO LATINO AMERICANO DE MUSICOLOGIA, Curitiba, 10-12 jan. 1997. Anais.... Curitiba: Fundação Cultural de Curitiba, 1996. p. 198-217.

CARDOSO, André. A música na corte de D. João VI. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

CARVALHO, Amanda Lima dos Santos. O Rio de Janeiro a partir da chegada da Corte Portuguesa: planos, intenções e intervenções no século XIX. In: PEIXOTO, Elane Ribeiro et al. (Orgs.) Tempos e escalas da cidade e do urbanismo: Anais do XIII Seminário de História da Cidade e do Urbanismo. Brasília, DF: Universidade de Brasília - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, 2014, [s.p.]. Disponível em: . Acesso em: 26 jul. 2017.

CASTAGNA, Paulo. Fontes bibliográficas para a pesquisa da prática musical no brasil nos séculos XVI e XVII. Dissertação (Mestrado em Música), Escola de Comunicações e Artes (ECA), Universidade de São Paulo (USP), 1991.

CAVALCANTI, Nireu. O Rio de Janeiro setecentista: a vida e a construção da cidade da invasão francesa até a chegada da corte. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2004.

COSTA, Everaldo Batista; SUZUKI, Júlio César. Aglomerações urbanas brasileiras dos séculos XIX e XX: significados na produção do território. In: COLOQUIO INTERNACIONAL DE GEOCRÍTICA, 12., Bogotá/ Colômbia. Actas... Bogotá: Universidad Nacional de Colombia/Departamento de Geografia, 2012. [s.p.]. Disponível em: . Acesso em: 26 jul. 2017.

GODOY, Paulo Roberto Teixeira de. A cidade no Brasil – período colonial. Caminhos de geografia, Uberlândia, v. 12, n. 38, p. 8-15, jun/2011. Disponível em: . Acesso em: 26 jul. 2017.

HOLLER, Marcos Tadeu. Uma história de cantares de Sion na Terra dos Brasis: a música na atuação dos jesuítas na América Portuguesa (1549-1759). Tese (Doutorado em Música). Instituto de Artes, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Campinas, 2006.

______. Os jesuítas e a música no Brasil colonial. Campinas: Editora Unicamp, 2010.

LEITE, Serafim S. J. Cantos, músicas e danças nas aldeias do Brasil (séc. XVI). Revista Brotéria, Lisboa, v. 24, p. 42-52, 1937.

______. A música nas primeiras escolas do Brasil. Revista Brotéria, Lisboa, v. 44, p. 377-390, 1947.

______. História da Companhia de Jesus no Brasil. Lisboa: Livraria Portugália; Rio de Janeiro: Civilização Brasileira e Instituto Nacional do Livro, 1938-1949. Edição especial: Rio de Janeiro: Itatiaia, 2000. 10 v.

MARX, Murillo. Cidade no Brasil: terra de quem? São Paulo: Edusp/Nobel, 1991.

MATOS, Ladson Ferreira de; SOUZA, Luciana Câmara Queiroz de. Luís Álvares Pinto e a formação musical no Brasil na segunda metade do século XVIII. Revista Vórtex, Curitiba, v. 5, n. 1, p.1-16, 2017.

MENDES, Jairo Faria; RABELO, Ernane. A censura no período colonial. In: ENCONTRO NACIONAL DE HISTÓRIA DA MÍDIA, 8. Anais... Guarapuava: Unicentro, 2011. [s. p.]. Disponível em: . Acesso em: 26 jul. 2017.

SANTOS, Antônio Carlos dos. Os músicos negros: escravos da Real Fazenda de Santa Cruz no Rio de Janeiro. São Paulo: Annablume/FAPESP, 2009.

TINHORÃO, José Ramos. Música popular de índios, negros e mestiços. Petrópolis: Editora Vozes, 1972.

______. História social da música popular brasileira. São Paulo: Editora 34, 1998.

_____. Os sons dos negros no Brasil. Cantos, danças, folguedos: origens. 3ª ed. São Paulo: Editora 34, 2012.

Periódicos

DIÁRIO DO RIO DE JANEIRO, Rio de Janeiro, 3 set. 1821, p. 7.

GAZETA DO RIO DE JANEIRO, Avisos, Rio de Janeiro, 11 out. 1809, p. 4.

_____, Avisos, Rio de Janeiro, 21 fev. 1810, p. 4.

_____, Avisos, Rio de Janeiro, 11 abr. 1812a, p. 4.

_____, Avisos, Rio de Janeiro, 6 jun. 1812b, p. 4.

_____, Avisos, Rio de Janeiro, 16 dez. 1812c, p. 4.

_____, Avisos, Rio de Janeiro, 24 abr. 1813a, p. 4.

_____, Avisos, Rio de Janeiro, 6 jan. 1813b, p. 4.

_____, Avisos, Rio de Janeiro, 3 abr. 1813c, p. 4

_____, Avisos, Rio de Janeiro, 10 ago. 1814, p. 4.

_____, Avisos, Rio de Janeiro, 6 ago. 1817a, p. 4.

_____, Avisos, Rio de Janeiro, 16 ago. 1817b, p. 4.

_____, Avisos, Rio de Janeiro, 4 jul. 1818a, p. 4.

_____, Avisos, Rio de Janeiro, 2 set. 1818b, p. 4.

_____, Avisos, Rio de Janeiro, 26 ago. 1820a, p. 4.

_____, Avisos, Rio de Janeiro, 25 out. 1820b, p. 4.

_____, Avisos, Rio de Janeiro, 21 fev. 1821a, p. 4.

_____, Avisos, Rio de Janeiro, 6 jan. 1821b, p. 4.

IDADE D’OURO, Avisos, Bahia, 3 dez. 1811a, p. 4.

_____, Bahia, 13 dez. 1811b, p. 4.

_____, Entrada dos portos, Bahia, 13 dez. 1811c, p. 4.

_____, Avisos, Bahia, 30 set. 1814a, p. 8.

_____, Avisos, Bahia, 1o jul. 1814b, p. 8.

_____, Avisos, Bahia, 30 jul. 1816, p. 4.

_____, Bahia, 26 set. 1817a, p. 7-8.

_____, Bahia, 29 abr. 1817b, p. 7.

_____, Avisos, Bahia, 21 abr. 1818a, p. 8.

_____, Bahia, 7 jul. 1818b, p. 5-7.

_____, Bahia, 21 ago. 1818c, p. 3.

_____, Bahia, 2 mar. 1821, p. 2.

JORNAL DO COMMERCIO, Rio de Janeiro, 18 jan. 1828, p. 4.




DOI: http://dx.doi.org/10.20504/opus2017c2303

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 OPUS

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 
OPUS - Revista Eletrônica da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-graduação em Música (ANPPOM)
ISSN 0103-7412 (versão impressa, 1989-2008), ISSN 1517-7017 (versão online, 2009- )