Desempenho pianístico e organização do estudo através do Rodízio: um sistema de treinamento baseado na distribuição e variabilidade da prática

Maria Bernardete Castelan Póvoas

Resumo


Este artigo refere-se à formulação de um sistema de organização do estudo de piano denominado Rodízio. Tem fundamentação interdisciplinar, baseando-se em argumentos pertinentes à organização da prática advindos de domínios como prática instrumental, psicologia da música e coordenação motora, entre outros. Caracteriza-se como um estudo exploratório baseando-se em depoimentos obtidos de alunos e ex-alunos através de breve questionário sobre o uso do sistema. Orienta o estudo de repertório de maneira a variar os conteúdos intercalados por intervalos de repouso entre sessões de prática. O repertório é previamente analisado e seccionado em unidades de trabalho (UTrs) que são delimitadas em função do material técnico-musical e organizadas em uma planilha de treinamento (PTr). O Rodízio visa a eficiência do treinamento técnico-musical e sua otimização por meio da distribuição e variabilidade da prática, incluindo o uso de estratégias de estudo, controle da técnica e sonoridade. O estudo mostrou que a aplicação do sistema Rodízio vem contribuindo para o desempenho em diferentes fases da formação pianística.


Palavras-chave


Desempenho pianístico. Sistema Rodízio. Organização do estudo. Variabilidade e distribuição da prática. Otimização do desempenho pianístico.

Texto completo:

PDF

Referências


BANGERT, Marc; WIEDEMANN, Anna; JABUSCH, Hans-Christian. When Less of the Same is More: Benefits of Variability of Practice in Pianists. In: INTERNATIONAL SYMPOSIUM ON PERFORMANCE SCIENCE. (s/n), 2013, Viena. Proceedings.... Brussels: European Association of Conservatoires (AEC), 2013, p. 117-122. Disponível em: . Acesso em: 15 mar. 2015.

BARROS, Luís Cláudio. A pesquisa empírica sobre o planejamento da execução instrumental: uma reflexão crítica do sujeito de um estudo de caso. Tese (Doutorado em Práticas Interpretativas). Programa de Pós-Graduação em Música, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2008.

CHOPIN, Frédéric. Préludes. Munich: Henle Verlag, 1996.

COSTA, Elis Regina; BORUCHOVITCH, Evely. Auto-eficácia e a motivação para aprender: considerações para o desempenho escolar dos alunos. In: AZZY, Roberta Gurgel; POLYDORO, Soely Aparecida Jorge. (Ed.). Autoeficácia em diferentes contextos. São Paulo: Alínea, 2006, p. 87-110.

CUSTODERO, Lori Almeida. Buscando desafios, encontrando habilidade: a experiência de fluxo e a educação musical. In: ILARI, Beatriz. S. Em busca da mente musical (Org.). Curitiba: Editora da UFPR, 2006. p. 381-399.

DAVIDSON, Jane W.; CORREIA, Jorge Salgado. Body Movement. In: PARNCUTT, R. & MCPHERSON, G. (Eds). The Science and Psychology of Music Performance – Creative Strategy for Teaching and Learning. New York: Oxford University Press, 2002. p. 236-250.

FALCÓN, Jorge Alberto. Critérios analíticos perceptivos para a o estudo da textura baseados em correntes auditivas e sua relação com a forma musical. In: ENCONTRO ANUAL DA ASSOCIACÃO BRASILEIRA DE COGNICÃO E ARTES MUSICAIS, 6., 2010, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: UFRJ, 2010. p. 73-83.

FAZENDA, Ivani Catarina Arantes. Interdisciplinaridade: história, teoria e pesquisa. 15. ed. São Paulo: Papirus Editora, 2008.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 1999

GABRIELSSON, Alf. Music Performance Research at the Millennium. Psychology of Music, v. 31, n. 3, p. 221-272, 2003.

IIDA, Itaro. Ergonomia: projeto e produção. 2. ed. São Paulo: E. Blücher, 2005.

KAPLAN, José Alberto. Teoria da aprendizagem pianística. Porto Alegre: Movimento, 1987.

MAGILL, Richard A. Aprendizagem motora – conceitos e aplicações. 5. ed. São Paulo: Edgard Blücher, 2000. Tradução: Aracy Mendes da Costa.

MEINKE, William. Risks and Realities of Musical Performance. Med Probl Perform Art, v. 13, p. 56-60, June 1998.

______. The Work of Piano Virtuosity. Med Probl Perform Art, v. 10, p. 48-58, June 1995.

PÓVOAS, Maria Bernardete Castelan. Controle do movimento com base em princípio de relação e regulação do impulso-movimento. Possíveis reflexos na ação pianística. Tese (Doutorado em Música - Práticas Interpretativas). Instituto de Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1999.

______. Ciclos de movimento – um recurso técnico-estratégico interdisciplinar de organização do movimento na ação pianística. In: XVI ENCONTRO ANUAL DA ASSOCIACÃO NACIONAL DE PESQUISA E PÓS-GRADUACÃO EM MÚSICA, 16., 2006, Brasília. Anais ... Brasília: UFB, 2006. p. 665-670.

______. Aspectos interdisciplinares da prática pianística. movimento e interdisciplinaridade no ensino do instrumento. In: XIII CONGRESSO NACIONAL DA ABEM - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO MUSICAL, 13.; 2007, Campo Grande. Anais..., Campo Grande: UFMS, 2007. p. 1-7.

PÓVOAS, Maria Bernardete Castelan; ANDRADE, Alexandre. Coordenação motora e simplificação do movimento. Uma estratégia técnico-cognitiva para otimizar a ação pianística. In: ENCONTRO ANUAL DA ASSOCIACÃO BRASILEIRA DE COGNICÃO E ARTES MUSICAIS, 6., 2010, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: UFRJ, 2010. p.146-155.

PÓVOAS, Maria Bernardete Castelan; SILVA, Fernando Pabst . Direcionamentos metodológicos e organização da Prática Pianística - um Relato da etapa de treinamento em procedimento experimental.. In: PERFORMA 2013 Encontros de Investigação em Performance, 4., 2013, Porto Alegre. Anais... Porto Alegre: UFRGS, 2013. p. 1-7.

PÓVOAS, Maria Bernardete Castelan; SILVA, Daniel; PONTES, Vânia Eger. Ação pianística e coordenação motora - redução do movimento como possibilidade de otimização da técnica com foco na transmissão do conteúdo musical. In: XVIII ENCONTRO ANUAL DA ASSOCIACÃO NACIONAL DE PESQUISA E PÓS-GRADUACÃO EM MÚSICA, 18., 2008, Salvador. Anais... Salvador: UFBA, 2008. p. 329-333.

SANTOS, Regina Antunes Teixeira dos; GERLING Cristina Capparelli. Investigação e auto-regulação na preparação de uma obra pianística. In: ENCONTRO ANUAL DA ASSOCIACÃO BRASILEIRA DE COGNICÃO E ARTES MUSICAIS, 6.; 2010, Rio de Janeiro. Anais.... Rio de Janeiro: UFRJ. 2010. p. 1-8.

SCHMIDT, Richard. A.; LEE, Timothy. D. Motor Control and Learning: A Behavioral Emphasis. Illinois: Human Kinetics Publishers, 2005.

SCHMIDT, Richard A.; WRISBERG, Craig A. Aprendizagem e performance motora: uma abordagem de aprendizagem baseada no problema. Tradução de Ricardo Petersen et al. Porto Alegre: Artmed Editora, 2001.

SILVEIRA, Denise Tolfo; CÓRDOBA, Fernanda Peixoto. A pesquisa científica. In: GERHARDT, T. E.; SILVEIRA, D. T. (Eds.). Métodos de pesquisa. Porto Alegre: Ed. UFRGS, 2009. p. 31-42. Disponível em: . Acesso em: 15 jun. 2016.

STEIN, Ernildo. Mundo vivido: das vicissitudes e dos usos de um conceito da fenomenologia. Porto Alegre, EDIPUCRS, 2004.




DOI: http://dx.doi.org/10.20504/opus2017a2308

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 OPUS - Revista Eletrônica da ANPPOM

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 
OPUS - Revista Eletrônica da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-graduação em Música (ANPPOM)
ISSN 0103-7412 (versão impressa, 1989-2008), ISSN 1517-7017 (versão online, 2009- )