Capital cultural versus dom inato: questionando sociologicamente a trajetória musical de compositores e intérpretes brasileiros

Rita de Cássia Fucci Amato

Resumo


O objetivo deste artigo é analisar sociologicamente a constituição cultural do ambiente familiar de oito músicos brasileiros eruditos e populares (Almeida Prado, Carlos Gomes, Chico Buarque, João Bosco, Magdalena Tagliaferro, Milton Nascimento, Tom Jobim e Villa-Lobos). Tomando seus depoimentos e biografias como material de pesquisa, o estudo analisa suas trajetórias sob a perspectiva do capital cultural, conceito desenvolvido pelo sociólogo francês Pierre Bourdieu. O trabalho delineia, assim, o papel da família como primeiro ambiente de musicalização do indivíduo, oferecendo uma perspectiva crítica à noção de talento musical inato ou dom e entendendo o desenvolvimento da habilidade artística como um fator socialmente constituído. 


Palavras-chave


capital cultural; sociologia da música; educação musical; família e cultura.

Texto completo:

PDF

Referências


AZENHA, Maria da Graça. Construtivismo: de Piaget a Emilia Ferreiro. 2 ed. São Paulo: Ática, 1994.

BERGER, Peter L.; LUCKMANN, Thomas. A construção social da realidade: tratado de sociologia do conhecimento. Trad. Floriano de Souza Fernandes. 10 ed. Petrópolis: Vozes, 1985.

BOSCO, João. Entrevista a Paulo Moska. Zoombido: a canção é de ninguém. Programa de entrevistas. Rio de Janeiro: Canal Brasil, 2007.

BOSI, Ecléa. Memória e sociedade. São Paulo: T. A. Queiroz, 1983.

BOURDIEU, Pierre. A economia das trocas simbólicas. Trad. Sérgio Miceli, Silvia de Almeida Prado, Sonia Miceli e Wilson Campos Vieira. São Paulo: Perspectiva, 1974.

______. Questões de sociologia. Trad. Jeni Vaitsman. Rio de Janeiro: Marco Zero, 1983.

________.A escola conservadora: as desigualdades frente à escola e à cultura. Trad. Aparecida Joly Gouveia. In: NOGUEIRA, Maria Alice;

CA T ANI, Afrânio (orgs.). Pierre Bourdieu: escritos de educação, p. 39-64. 2 ed. Petrópolis: Vozes, 1998a.

______. Os três estados do capital cultural. Tradução de Magali de

Castro. In: Nogueira, Maria Alice; Catani, Afrânio (Orgs.). Pierre Bourdieu: escritos de educação, p. 71-79. 2 ed. Petrópolis: Vozes, 1998b.

______. Capital cultural, escuela y espacio social. Madrid: Siglo XXI, 2003.

BUARQUE, Chico. Depoimento. In: OLIVEIRA, Roberto de (dir.). Chico, a série: Palavra-chave. Documentário em DVD. Manaus: Videolar, 2006a.

______. Depoimento. In: OLIVEIRA, Roberto de (dir.). Chico, a série: Estação Derradeira.Documentário em D VD. Manaus: Videolar, 2006b.

DESCARTES, René. 1999. Discurso do método. Trad. Enrico Corvisieri. São Paulo: Nova Cultural.

ELIAS, Norbert. A sociedade dos indivíduos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1997.

______. Mozart: sociologia de um gênio. Trad. Sergio Goes de Paula. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1999.

FUCCI AMATO, Rita de Cássia. Memória Musical de São Carlos: Retratos de um Conservatório. São Carlos, 2004. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de São Carlos.

______. Um estudo sobre a rede de configurações sócio-culturais do corpo docente e discente de um conservatório musical. Ictus, n. 6, 2005, p. 29-40.

______. Pesquisa historiográfica em instituições educativo-musicais: fundamentos e reflexões. Revista Brasileira de História da Educação, n. 13, 2007, p. 71-96.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. Trad. Laurent Leon

Schaffter. São Paulo: Vértice; Revista dos Tribunais, 1990.

JOBIM, Antonio Carlos. Depoimento. In: OLIVEIRA, Roberto de (dir.). Tom Jobim: maestro soberano – Ela é carioca. Documentário em DVD. Manaus: Sony Brasil, 2006.

K AN T , Immanuel. Crítica da razão pura. T rad. Valério Rohden e Udo Baldur Moosburger . São Paulo: Nova Cultural, 1999.

KEBACH, Patrícia Fernanda Carmem. Desenvolvimento musical: questão de herança genética ou de construção. Revista da ABEM, v. 17, 2007, p. 39-48.

LEITE, Édson Roberto. Magdalena Tagliaferro: testemunha de seu tempo. São Paulo: Annablume/ Fapesp, 2001.

LOWENTHAL, David. Como conhecemos o passado. Trad. Lúcia Haddad. Projeto história:trabalhos da memória, n. 17, nov. 1998, p. 63-201.

MARIZ, Vasco. Heitor Villa-Lobos: compositor brasileiro. 11 ed. Belo Horizonte: Itatiaia, 1989.

______. História da música no Brasil. 5 ed. São Paulo: Nova Fronteira, 2000.

NASCIMENTO, Milton. Entrevista a Paulo Moska. Zoombido: a canção é de ninguém. Programa de entrevistas. Rio de Janeiro: Canal Brasil, 2007.

OLI VEIR A, Marta Kohl de. Vygotsky: aprendizado e desenvolvimento, um processo sócio-histórico. São Paulo: Scipione, 1993.

ORTIZ, Renato (org.). Pierre Bourdieu: sociologia. São Paulo: Ática, 1983.

PLA TÃO. A República. Tradução de J. Guinsburg. 2 ed. São Paulo: Difel, 1973.

SCHROEDER, Sílvia Cordeiro Nassif. O músico: desconstruindo mitos. Revista da ABEM, v. 10, 2004, p. 109-118.

THOMPSON, Paul. A voz do passado: história oral. Tradução de Lólio Lourenço de Oliveira. São Paulo: Paz e Terra, 1992.

VILLA-LOBOS, Heitor. Villa-Lobos por ele mesmo. In: RIBEIRO, João Carlos (org.). O pensamento vivo de Heitor Villa-Lobos, p. 12-25. São Paulo: Martin Claret, 1987.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais



 
OPUS - Revista Eletrônica da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-graduação em Música (ANPPOM)
ISSN 0103-7412 (versão impressa, 1989-2008), ISSN 1517-7017 (versão online, 2009- )