As Sociedades Musicais Francesas do início do século XX: ideal nacionalista ou independência artística?

Danieli Verônica Longo Benedetti

Resumo


Fundamentado em material coletado na Biblioteca Nacional da França, o presente artigo faz um breve relato sobre a criação das Sociedades Musicais Francesas no início do século XX e uma reflexão sobre suas ideologias e consequências. Responsáveis por ditar o rumo da vida musical francesa durante um período significativo da história, estes agrupamentos fomentariam um debate que se revelaria fundamental na formação de um novo pensar musical. 


Palavras-chave


música francesa; sociedades musicais; nacionalismo.

Texto completo:

PDF

Referências


BENEDETTI, Danieli. Le Tombeau de Couperin (1914-1917) de Maurice Ravel: obra de uma guerra. São Paulo, 2008. Tese (Doutorado em Música) Departamento de Música – Universidade de São Paulo.

D’IND Y , Vincent. Esthetique. Le Courrier Musical. Paris: 15 jan. 1917, p. 25-26.

DUCHESNEAU, Michel. L'Avant Garde Musicale à Paris de 1871 à 1939. Hayen: MARDAGA,1997.

KOECHLIN, Charles. Esthetique? Le Courrier Musical. Paris: 15 fev. 1917, p. 79-80.

LALOY, Louis. La musique retrouvé, 1902-1927. Paris: Plon, 1928.

MARNAT, Marcel. Maurice Ravel. Paris: Fayard, 1986.

SAINT-SAENS, Camille. La Societé Nationale de Musique. Le Voltaire. Paris, 27 nov. 1880.

ORENSTEIN, Arbie. Lettres et entretiens – Maurice Ravel. Paris: Flammarion, 1989. http: //mediatheque. ircam. fr/HO TES/SNM/I TPR21S AENS. html


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais



 
OPUS - Revista Eletrônica da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-graduação em Música (ANPPOM)
ISSN 0103-7412 (versão impressa, 1989-2008), ISSN 1517-7017 (versão online, 2009- )