As canções dos discos de histórias infantis e a imagem da criança

Ana Cristina Fricke Matte

Resumo


Da cantiga de roda à música de massa, a música infantil brasileira vem aumentando seu espaço no mercado fonográfico brasileiro especialmente a partir dos anos 80. Por ter um público específico e amplo, adequa-se com facilidade ao esquema industrial de produção cultural via mídia, no entanto surge, por um lado, dando voz a anseios culturais de vanguarda, repetindo o movimento conflituoso das outras artes na atualidade e, por outro, delineando diferentes imagens da criança em diferentes períodos históricos. Que música é essa?

Texto completo:

PDF

Referências


Benjamin, Walter (1985). ''A Obra de Arte na Era de sua Reprodutibilidade Técnica''. Obras Escolhidas I. São Paulo, Brasiliense.

Benjamin, Walter (1984)- Reflexões: a criança, o brinquedo, a educação. Tradução de Marcos Vinícius Mazzari; Coleção Novas Buscas em Educação. São Paulo, Summus.

Bettelheim, Bruno (1980). A Psicanálise dos Contos de Fadas. / trad. Arlene Caetano. Col. Literatura e Teoria Literária # 24. Rio de Janeiro, Ed. Paz e Terra.

Damazio, Reinaldo Luiz (1991). O que é Criança? Coleção Primeiros Passos, no 204 - São Paulo, Ed. Brasiliense.

Greimas, Algirdas Julien & Fontanille, Jacques (1993). Semiótica das Paixões - dos estados de coisas aos estados de alma./trad. Maria José

Rodrigues Coracini. Série Temas # 33. São Paulo, Ed. Ática.

Greimas, Algirdas Julien & Courtés, Joseph (1986). Sémiotique. Dictionnaire Raisonné de la Théorie du Langage II. Paris, Hachette.

Krausche, Valter - Música Popular Brasileira - da cultura de roda à música de massa - coleção Tudo é História, número 79. Editora Brasiliense: São Paulo, 1983.

Lajolo, Marisa e Zilberman, Regina (1984). Literatura Infantil Brasileira: história e histórias. / Marisa Lajolo, Regina Zilberman. São Paulo, Ática.

Lopes, Paul (1992) ''Innovation and diversity In the popular music industry, 1969 to 1990''. American Sociological Review, Vol. 57 (fevereiro).

Matte, Ana Cristina Fricke (1999). Abordagem Semiótica de Histórias e Canções em Discos Para Crianças - O Disco Infantil e a Imagem da Criança. Dissertação de Mestrado, Área de Semiótica e Lingüística Geral, Departamento de Lingüística, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo.

Morelli, Rita de Cássia Lahoz (1991). Indústria Fonográfica - um estudo antropológico. Campinas - SP, Editora da UNICAMP.

Oliveira, Ana Cláudia e Landowski, Eric (1995). Do Inteligível ao Sensível: em torno da obra Algirdas Julien Greimas. Ana Claudia Mei Alves de Oliveira e Eric Landowski (eds.). São Paulo, EDUC.

Peterson, Richard e Berger, David (1975). ''Cycles In symbol production: the case of popular music''. American Sociological Review, Vol. 40 (abril).

Severiano, Jairo (1987). Yes, Nós Temos Braguinha. Rio de Janeiro, FUNARTE, Instituto Nacional de Música.

Tatit, Luiz Augusto de Moraes (1996). O Cancionista - Composição de Canções no Brasil. São Paulo, Editora da Universidade de São Paulo.

Tatit, Luiz Augusto de Moraes (1994). Semiótica da Canção: melodia e letra. São Paulo, Escuta.

Teixeira Coelho - O que é Indústria Cultural. São Paulo, Ed. Brasiliense, 1980.

Tietyen, David (org.)(1990) The Musical World of Walt Disney/ David

Tietyen, preface by Richard M. and Robert B. Sherman. Walt Disney Company, Hal Leonard Publishing Corporation, Milwaukee, Wiscosin.

Zan, José Roberto (1994) ''Música Popular: produção e marketing''. Gêneros ficcionais, produção e cotidiano na cultura popular de massa. Coleção GT's, INTERCOM no 1, São Paulo, SP, pp. 75-94.

Zilberman, Regina (org.) (1984) A Produção Cultural Para a Criança. Ed. Mercado Aberto: Porto Alegre, 1984.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais



 
OPUS - Revista Eletrônica da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-graduação em Música (ANPPOM)
ISSN 0103-7412 (versão impressa, 1989-2008), ISSN 1517-7017 (versão online, 2009- )