Classificação vocal: um estudo comparativo entre as escolas de canto italiana, francesa e alemã

Maurício Machado Mangini, Marta Assunção de Andrada e Silva

Resumo


O objetivo deste trabalho foi identificar, por meio de levantamento bibliográfico, semelhanças e/ou diferenças entre as escolas de canto italiana, francesa e alemã, em relação aos seus critérios de classificação vocal. Uma pesquisa bibliográfica foi, então, realizada nas bibliotecas do Instituto de Artes da UNESP, ECA-USP e PUC-SP, bem como nas bases eletrônicas de dados MEDLINE e SciELO. A análise do material coletado revelou que a escola italiana e a escola alemã demonstram ter maior sistematização quanto aos critérios de classificação vocal e classificam vozes em função da escrita musical de determinados compositores. A escola francesa propõe classificações alternativas para vozes fora dos padrões tradicionais. Os parâmetros classificatórios mais utilizados pelas três escolas são, respectivamente, a tessitura e o timbre. Concluiu-se que a classificação de vozes envolve fatores anatômicos, funcionais, psíquicos, culturais e, portanto, deve ser encarada como um processo lento e gradual de construção da identidade vocal do cantor lírico. 


Palavras-chave


Voz; Qualidade da voz; Treinamento da voz; Estética.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, Mário de. Dicionário musical brasileiro. Belo Horizonte: Ed. Itatiaia; [Brasília, DF], Ministério da Cultura; São Paulo, Instituto de Estudos Brasileiros da Universidade de São Paulo, Ed. da Universidade de São Paulo, 1989. (Coleção Reconquista do Brasil)

BARBIER, Patrick. História dos castrati. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1993. CASOY, Sergio. A invenção da ópera. São Paulo: Algol, 2007.

CASTARÈDE, Marie-France. A voz e os seus sortilégios. Lisboa: Editorial Caminho, 1998. (Coleção Caminho da Música).

COELHO, Lauro Machado. A ópera romântica italiana. São Paulo: Perspectiva, 2002. (História da Ópera).

COSTA, Henrique Olival; ANDRADA E SILVA, Marta Assumpção de. Voz cantada: evolução, avaliação e terapia fonoaudiológica. São Paulo: Lovise, 1998.

COTTE, Roger J. V. Música e simbolismo. 11. ed. São Paulo: Cultrix, 1997. DIGAETANI, John Louis. Convite à ópera. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1988.

GALWAY, James; MANN, William. A música no tempo. São Paulo: Martins Fontes, 1987.

GARDE, Édouard J. La voix. 3. ed. Paris: Presses Universitaires de France, 1965.

GUIMARÃES, Gabriel Rabelo; LUZ, Lúcia Maria Prata. De que maneira o otorrinolaringologista e o fonoaudiólogo podem ajudar na classificação vocal de um cantor? In: BEHLAU, Mara (Org.). O melhor que vi e ouvi: atualização em laringe e voz. Rio de Janeiro: Revinter, 1998. p. 130-132.

HERBERT-CAESARI, Edgar F. The science and sensations of vocal tone. 6. ed. New York: Crescendo Publishing, 1977.

HOLLAND, Rachel J. National schools of singing and their impact on teaching vocal pedagogy and literature. Presented at the 17th Annual Convention of the Global Awareness Society International, San Francisco, CA, USA, may 2008.

HUSSON, Raoul. El canto. Buenos Aires: EUDEBA, 1965.

KIMBALL, Carol. Song: a guide to art song style and literature. Milwaukee: Hal Leonard Corporation, 2005.

LARSSON, Hans; HERTEGARD, Stellan. Vocal fold dimensions in professional opera singers as measured by means of laser triangulation. Journal of Voice, v. 22, n. 6, p. 734-739, 2008.

MAGNANI, Sergio. Expressão e comunicação na linguagem da música. Belo Horizonte: UFMG, 1989. (Coleção Aprender).

MELLO, Enio; ANDRADA E SILVA, Marta Assumpção de. Correlação entre comprimento de prega vocal e classificação da voz de cantores: um estudo de medidas morfológicas por meio de raios X. Revista da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia, v. 15, n. 2, p. 307-308, 2010.

MILLER, Richard. The structure of singing. New York: Schirmer Books, 1986.

______. National schools of singing: english, french, german, and italian techniques of singing revisited. Lanham, Maryland: Scarecrow Press, 2002.

______. Historical overview of vocal pedagogy. In: Sataloff Robert T. (Ed.). Vocal health and pedagogy: science and assessment. San Diego: Plural Publishing, 2006.

______. On the art of singing. New York, Oxford: Oxford University Press, 2011.

MORI, Rachelle M. Coscienza della voce nella scuola italiana di canto. Milano: Edizioni Curci, 1970.

ROERS, Friederike; MÜRBE, Dirk; SUNDBERG, Johan. Predicted singers’ vocal fold lengths and voice classification - a study of X-ray morphological measures. J Voice, v. 23, n. 4, p. 408-413, 2009.

ROSENTHAL, Harold; WARRACK, John. The concise dictionary of opera. London: Oxford University Press, 1979.

TRAVASSOS, Elizabeth. Um objeto fugidio: voz e “musicologias”. Música em Perspectiva, v. 1, n. 1, p. 14-42, 2008.

VALENTE, Heloísa Araújo Duarte. Os cantos da voz: entre o ruído e o silêncio. São Paulo: Annablume, 1999.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais



 
OPUS - Revista Eletrônica da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-graduação em Música (ANPPOM)
ISSN 0103-7412 (versão impressa, 1989-2008), ISSN 1517-7017 (versão online, 2009- )