Fronteiras da música: filosofia, estética, histórica e política

Lia Vera Tomás
Organização

Sinopse

A Filosofia da Música é um campo de pesquisas que vem se organizando em torno da reflexão filosófica a respeito de conceitos centrais que estruturam a Estética Musical. Área em ascensão nos campos das pesquisas em filosofia e música no Brasil, a filosofia da música relaciona-se ainda com questões mais amplas vinculadas à música, tais como o pensamento e a natureza, a subjetividade, a organização do tempo, a função histórica e política na sociedade, entre outros.

Visto que os pesquisadores desse campo têm se reunido e publicado com regularidade suas pesquisas, sejam essas no formato de dissertações, teses, artigos ou coletâneas de congressos, os capítulos que compõem o livro “Fronteiras da Música: Filosofia, Estética, História & Política” são a reformulação dos textos apresentados no IV Encontro Nacional de Pesquisadores em Filosofia da Música, evento realizado no Instituto de Artes da UNESP em outubro de 2015, e que contou com o apoio do Programa de Pós-Graduação e Departamento de Música da instituição e também da FAPESP.

"Fronteiras da Música”, livro cuja amplitude se adequa a perspectivas interdisciplinares, intersecciona a própria música com outros campos do conhecimento, transpassando os limites existentes e criando espaços intermediários e diálogos que naturalmente se instalam entre os saberes: literatura, crítica musical, política, antropologia, teoria, análise musical, história, sociologia, para citar alguns. Entretanto, não apenas as fronteiras para o diálogo foram estendidas mas também os autores contemplados: Gadamer, Scriabin, Wolfgang Rihm, Jankélévitch, Serres, Ingarden, Adès, Heine, Grandval, Blainville, Geminiani, Maurício Kagel.....compositores, filósofos e pensadores raramente prestigiados em publicações nacionais.

Assim, parece ser oportuno também recordar uma citação do musicólogo Carl Dahlhaus, o qual nos adverte que toda a reflexão que se atrela à música, sejam essas de áreas afins ou mais distantes, não podem ser consideradas estranhas à própria música, visto serem pertinentes a ela como objeto histórico ou mesmo perceptivo: afinal, o que se percebe ou o que pensa sobre a música depende, em parte, do que tivermos lido a seu respeito.

A todos, uma boa leitura!

Capa para Fronteiras da música: filosofia, estética, histórica e política

Detalhes sobre essa publicação

ISBN-13 (15)
978-85-63046-05-5
Date of first publication (11)
2016-12-01